2015: um ano de muitas novidades, ameaças e paradigmas quebrados

Além de toda a agitação do mundo político e econômico o ano de 2015 não poupou quem trabalha com TI e segurança da informação de muito trabalho com as novidades e mudanças de paradigma. Vamos relembrar dos acontecimentos mais importantes.

Começando na área de serviços e dispositivos móveis o Whatsapp deixou de ser um serviço exclusivo de dispositivos móveis. Entrou em funcionamento a versão do aplicativo para web. Ainda falando em Whatsapp, a liberação das chamadas de voz através do aplicativo fez um grande sucesso e aumentou ainda mais a irritação das operadoras de telefonia que não param de perder receita. Estão pagando o preço por terem escolhido o caminho errado. A popularidade do aplicativo acabou por gerar uma grande onda de reclamações com o pedido de bloqueio de seu acesso solicitado pela justiça. O evento motivador do bloqueio não foi um caso isolado e o que fica é o total desrespeito do Facebook/Whatsapp a justiça brasileira.

Outro assunto que deu o que falar foi a discussão sobre o bloqueio da navegação na Internet pelas operadoras após o fim da franquia de dados. Procon e operadoras travaram uma batalha judicial e o desfecho está longe do fim.

Os relógios inteligentes como o Apple Watch, o lançamento do assistente por voz Cortana da Microsoft para iOS e Android e a chegada da fabricante de Smartphones Xiaomi no Brasil também movimentaram o mercado.

Para os profissionais da Segurança da Informação 2015 não foi nada tranquilo. Várias revelações do ex analista de segurança da NSA Edward Snowden continuaram a expôr as ações dos governos. Notícias como a existência de um mecanismo nos aparelhos da Apple que permitiria o monitoramento remoto dos usuários e a tentativa de ataque da NSA ao Google Play para com isto infectar os aparelhos Android deixou os usuários alertas. Também foi divulgada a informação de que o EUA continuava a espionar o Brasil e seus governantes. Depois desta notícia o Brasil abandonou a criptografia de origem americana e adotou o sistema alemão de proteção das informações

Neste ano também descobrimos que estávamos cercados de aplicativos espiões como uma função inclusa nas novas TVs inteligentes da Samsung que estaria gravando conversas que aconteciam ao redor dos aparelhos ou a revelação de que pelo menos seis HDs de marcas famosas estariam infectados com um software espião. Nem os computadores ficaram de fora. Equipamentos da Dell e Lenovo estariam saindo da fábrica com malwares pré instalados o que permitiria o monitoramento do que seus usuários estariam fazendo.

Mesmo equipamentos que eram considerados imunes a vírus como os da Apple viram surgir e crescer o número de malwares e ataques a sua loja de aplicativos.

Com todas estas ameaças era de se esperar que nossos dados pessoais estariam em risco. Acompanhamos diversos vazamentos de informações que expuseram dados e senhas de milhões de usuários da Internet, desde informações médicas, cadastros pessoais e sites de relacionamentos extraconjugais.

Os ataques contra equipamentos médicos, automóveis e até aviões entraram na lista de possibilidades. Ainda tímidas mas que prometem aparecer de forma intensa em 2016.

A tecnologia é disruptiva e quebra os paradigmas por onde passa como por exemplo nos serviços da economia colaborativa (Uber, Airbnb e outros). O ano de 2015 nos deixou muitas novidades e desafios.

Agradeço aos muitos leitores da coluna pelas mensagens, sugestões e perguntas enviadas. Desejo a todos um 2016 de muita Paz, saúde e que a tecnologia nos ajude a termos um mundo melhor.

Um grande abraço e até 2016.

Gilberto Sudré

Gilberto Sudre

Perito e Assistente Técnico em Computação Forense. Professor do IFES e coordenador do Laboratório de Pesquisa em Segurança da Informação e Perícia Computacional Forense.. Coordenador do Cisco Academy Support Center Ifes-ASC. Instrutor da Academia Cisco. Instrutor da Academia de Polícia do ES na área de Computação Forense. Professor da EMERJ - Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro no Curso de Aperfeiçoamento de Magistrados – Cibercrimes. Membro da Sociedade Brasileira de Ciências Forenses. Membro da HTCIA - High Technology Crime Investigation Association. Membro do Comitê Técnico CB21/CE27 - Tecnologia da Informação – Técnicas de Segurança da ABNT (Associação Brasileira de Normas técnicas). Membro fundador do DC5527, grupo local da Conferência Internacional de Segurança da Informação DEF CON. Comentarista de Tecnologia da CBN e TV Gazeta. Autor dos livros Antenado na Tecnologia e Redes de Computadores e co-autor dos livros Internet: O encontro de 2 Mundos, Segurança da Informação: Como se proteger no mundo Digital, Marco Civil da Internet, Processo Judicial Eletrônico e Tratado de Computação Forense.

Website: http://gilberto.sudre.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CommentLuv badge