Apagando “realmente” seus arquivos

Mantemos muitas informações confidenciais em nossos computadores,: senhas de banco, números de contas correntes, além de projetos e outros documentos importantes. Todos estão armazenadas em arquivos espalhados pelo disco rígido.

Muitos usuários imaginam que o fato de remover o arquivo do disco já é suficiente para impedir que outras pessoas tenham acesso a estas informações. Infelizmente não.

Quando você solicita ao Windows que apague seu arquivo, este é, na verdade, movido para uma pasta chamada “Lixeira” (“Recycle Bin”) onde uma cópia é mantida por algum tempo. Caso você se arrependa, a cópia do arquivo excluído pode ser “ressuscitada”. A possibilidade de recuperação é muito interessante mas causa uma falha na segurança, já que arquivos apagados corretamente podem ser recuperados indevidamente. Bastaria entrar na pasta “Lixeira” e também apagar o arquivo de lá, certo?. Oopss… não tão rápido.

Na exclusão, o que o Windows faz é retirar o nome do arquivo do diretório e liberar as áreas ocupadas no disco. As informações contidas nos arquivos ainda continuam no disco, ou seja, o Windows não limpa o espaço ocupado pelo arquivo. Ele faz isto para economizar tempo. Imagine só se, para apagar um arquivo muito grande, ele precisasse sobrescrever todas as informações com zeros!

Similar ao citado anteriormente, os utilitários de formatação de disco também não apagam as informações gravadas. Limitam-se apenas a limpar o nome dos arquivos dos diretórios. Isso permite, com o uso de ferramentas adequadas, recuperar os arquivos, mesmo após a formatação de um disco.

Para apagar definitivamente seus arquivos existem alguns utilitários que gravam informações aleatórias sobre as áreas anteriormente ocupadas pelo arquivo. Como exemplo temos o Eraser (http://www.heidi.ie/eraser/download.php) um utilitário gratuito muito utilizado.

Agora você já pode ter certeza de que apagou realmente um arquivo.

Gilberto Sudré

Gilberto Sudre

Professor e Pesquisador da FAESA – Centro Universitário e IFES - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do ES. Coordenador do Laboratório de Pesquisa em Segurança da Informação e Perícia Computacional Forense - LABSEG. Perito e Assistente Técnico em Computação Forense. Instrutor da Academia de Polícia do ES na área de Computação Forense. Membro da Sociedade Brasileira de Ciências Forenses. Membro da HTCIA - High Technology Crime Investigation Association. Liderança do Singularity University - Vitória Chapter. Membro fundador do DC5527, grupo local da Conferência Internacional de Segurança da Informação DEF CON. Articulista do Jornal A Gazeta. Autor do Blog Conexão Digital. Comentarista de Tecnologia da Rádio CBN e TV Gazeta. Autor dos livros Antenado na Tecnologia e Redes de Computadores e co-autor dos livros Internet: O encontro de 2 Mundos, Segurança da Informação: Como se proteger no mundo Digital, Marco Civil da Internet, Processo Judicial Eletrônico e Tratado de Computação Forense.

Website: http://gilberto.sudre.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CommentLuv badge

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.