Ataques de Vírus: Os antivírus se tornaram inúteis?

Apesar da presença de antivírus avançados temos acompanhado que os cyber criminosos continuam a lançar ataques cada vez mais bem sucedidos contra empresas e usuários. Então fica a pergunta: Por que o software de antivírus deixou de ser eficaz na detecção e bloqueio da maioria dos malwares em computadores e smartphones?

A realidade é que os ataques e os vírus estão cada vez mais complexos assim como os sistemas que eles se propõem a proteger.

Além disto, atualmente, são mais de 100.000 novos vírus por mês o que envolve uma complexidade enorme para a forma tradicional como os antivírus funcionam. Na abordagem tradicional os antivírus devem conhecer e comparar com uma base de dados de vírus conhecidos para saber se um aplicativo é ou não malicioso. Imagina o problema de se manter atualizada uma lista que cresce mensalmente a estas taxas?

Outro grande problema atual é que temos muitos pontos de troca de informação e acesso as redes de computadores o que aumenta a variedade de dispositivos que os antivírus precisam proteger como smartphones, tablets e computadores sem contar os novos integrantes desta lista como televisores, relógios inteligentes e até automóveis.

Isto é o fim dos antivirus? Certamente que não, eles ainda tem sua importância na proteção contra códigos maliciosos mas não podem considerados a única barreira que impede a entrada de vírus.

E agora, o que fazer?

O importante neste caso é adotar vários mecanismos e procedimentos para melhorar a segurança da nossa navegação na Internet.

A primeira, e talvez mais importante ação seja a educação dos usuários quanto ao uso dos recursos de tecnologia da informação para que estes saibam identificar as armadilhas ou mesmo adotar práticas de baixo risco no mundo digital.

O uso de outras ferramentas de proteção como antispyware, antispam e firewalls também ajudam a reduzir a chance de invasão por vírus.

E para aqueles momentos onde todas as outras ferramentas de proteção falham o recurso que pode evitar muita dor de cabeça, mas esquecido por muitos usuários é o backup. Com a queda dos preços dos discos rígidos externos esta é uma ação simples e barata que pode tirar você de uma séria enrrascada.

Lembre-se, não existe 100% de segurança mas com o uso de ferramentas adequadas e bom senso é possível reduzir a chance de ter seus dados perdidos ou violados. Só não dá para confiar em uma só proteção.

Gilberto Sudré

Gilberto Sudre

Professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do ES - IFES. Consultor e Pesquisador nas áreas de Segurança Digital e Computação Forense. Coordenador do Laboratório de Segurança Digital e Perícia Computacional Forense – LABSEG. Integrante do Comitê de Tecnologia da OAB-ES. Instrutor na disciplina de Perícia Computacional Forense da Academia de Polícia Civil do ES – ACADEPOL. Instrutor da Academia de Computação Forense Livre. Membro do comitê técnico CB21/CE27 da ABNT sobre Segurança da Informação. Membro do Grupo de Pesquisa – Justiça e Direito Eletrônicos – GEDEL. Comentarista de Tecnologia da Rádio CBN, TV Gazeta. Articulista do Jornal A Gazeta, Revista ES Brasil e Portal iMasters. Autor dos livros Antenado na Tecnologia e Redes de Computadores e co-autor dos livros Internet: O encontro de 2 Mundos, Segurança da Informação: Como se proteger no mundo Digital, Marco Civil da Internet e Processo Judicial Eletrônico.

Website: http://gilberto.sudre.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CommentLuv badge