Cartões de expansão de memória: Como escolher

Ao lado da autonomia da bateria, um dos principais problemas dos dispositivos móveis é o espaço de armazenamento interno. Como os aplicativos cresceram de tamanho e fotos e vídeo ganharam mais resolução tudo acaba ocupando uma quantidade maior de memória gerando problemas para o funcionamento de Smartphones e Tablets.

Um accessório que ajuda a resolver este problema são os cartões de memória (SD ou microSD) que podem ser utilizados em câmeras fotografias e também podem ser uma alternativa para o transporte de arquivos entre computadores.

Os fabricantes de Smartphones que tinham retirado a possibilidade de expansão de seus aparelhos felizmente voltaram atrás e cada vez mais aparelhos possuem este recurso. Se você tem um Smartphone com armazenamento expansível então é hora de aprender como escolher um bom cartão de memória.

Em geral, ao escolher um cartão de memória, os usuários leva em consideração apenas duas características: a capacidade e o preço. Realmente, estas são duas informações importantes na hora da compra mas as elas não definem definem a qualidade do produto.

Uma outra informação importante de ser avaliada é a Classe de operação do cartão de memória, indicado com um número dentro de um circulo gravado na parte externa do accessório. Os cartões microSD podem ser da classe 2, 4, 6 ou 10. Esse número informa a velocidade mínima de transferência de dados que o dispositivo garante.

Os cartões de Classe 6 possuem uma velocidade mínima de gravação de 6MBps (milhões de caracteres por segundo) e são indicados para a gravação de fotos e principalmente vídeos em FullHD.

Alguns cartões também possuem um barramento especial chamado UHS, sigla que significa “Ultra High Speed” – velocidade ultra alta. Eles podem ser UHS I (garantindo uma taxa de transferência de dados de pelo menos 10MB/s) ou UHS III (garantindo 3MB/s).

Ter um cartão de classe mais alta não significa apenas que o processo de gravação de arquivos no ou do cartão será mais rápido mas o próprio dispositivo pode ficar mais rápido pois se libera das tarefas de forma mais rápida também.

Mesmo com esta indicação a velocidade dos cartões podem variar muito. A Proteste realizou testes com algumas das principais opções disponíveis no mercado, aferindo a velocidade de gravação, velocidade de escrita e resistência dos dispositivos, bem como sua garantia e a qualidade das informações da embalagem. Segundo a associação, a diferença entre os cartões de classe 4 é bastante notável, tanto em preço quanto em velocidade. A conclusão foi de que os cartões da Multilaser, Sandisk e Kingston (em ordem crescente de resultado) apresentaram o melhor custo x benefício.

Agora você vai poder escolher melhor quando for adquirir um cartão de memória.

Gilberto Sudré

Gilberto Sudre

Professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do ES - IFES. Consultor e Pesquisador nas áreas de Segurança Digital e Computação Forense. Coordenador do Laboratório de Segurança Digital e Perícia Computacional Forense – LABSEG. Integrante do Comitê de Tecnologia da OAB-ES. Instrutor na disciplina de Perícia Computacional Forense da Academia de Polícia Civil do ES – ACADEPOL. Instrutor da Academia de Computação Forense Livre. Membro do comitê técnico CB21/CE27 da ABNT sobre Segurança da Informação. Membro do Grupo de Pesquisa – Justiça e Direito Eletrônicos – GEDEL. Comentarista de Tecnologia da Rádio CBN, TV Gazeta. Articulista do Jornal A Gazeta, Revista ES Brasil e Portal iMasters. Autor dos livros Antenado na Tecnologia e Redes de Computadores e co-autor dos livros Internet: O encontro de 2 Mundos, Segurança da Informação: Como se proteger no mundo Digital, Marco Civil da Internet e Processo Judicial Eletrônico.

Website: http://gilberto.sudre.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CommentLuv badge