Celulares a prova d’água: são todos iguais?

 

Os celulares nos acompanham em praticamente em todos os lugares, seja no trabalho, na praia ou no campo. Devido a isto eles também estão expostos a muitos agentes externos como água ou poeira.

Para proteger estes preciosos aparelhos os fabricantes adotaram para seus modelos mais sofisticados o recurso de serem a prova d’água ou sólidos mas será que são todos iguais?

Infelizmente não são e o nível de proteção contra água e poeira do celular é medida através da escala de IP (sigla para Ingress Protection, ou Proteção de Entrada) como a descrita a seguir

Grau de proteção contra sólidos

0 – Sem proteção

1 – Proteção contra sólidos cujo diâmetro seja maior do que 50 mm

2 – Proteção contra sólidos cujo diâmetro seja maior do que 12,5 mm

3 – Proteção contra sólidos cujo diâmetro seja maior do que 2,5 mm

4 – Proteção contra sólidos cujo diâmetro seja maior do que 1 mm

5 – Proteção contra o acúmulo de poeira e contato com partes internas do equipamento

6 – Proteção total contra a entrada de poeira

Grau de proteção contra água

0 – Sem proteção

1 – Proteção contra queda vertical de gotas de água

2 – Proteção contra queda de gotas de água a uma angulação de 15 graus

3 – Proteção contra queda de gotas de água a uma angulação de 60 graus

4 – Proteção contra água borrifada em qualquer uma das direções

5 – Proteção contra jatos de água mais leves

6 – Proteção contra maresia intensa, contra grande acúmulo de líquidos ou contra jatos de água com pressão

7 – Proteção contra imersão temporária de até 1 metro e por um período de até 30 minutos

8 – Proteção contra submersão completa, contra imersão prolongada em situações sob pressão

Assim basta você olhar a numeração. Por exemplo, se o celular tiver uma proteção IP55, significa que ele tem “proteção contra o acúmulo de poeira em partes internas do equipamento” e “Proteção contra jatos de água mais leves”. Olhando a escala chegamos a conclusão que o mais resistente é o IP68.

Em geral, os aparelhos aguentam até 30 minutos submersos por até 1 metro de profundidade. Mesmo os com IP68, que tem proteção contra submersão completa e imersão prolongada em situações sob pressão, não podem ficar muito tempo embaixo d’água! Por isso é bom não ficar abusando da sorte.

Gilberto Sudré

Gilberto Sudre

Professor e Pesquisador da FAESA – Centro Universitário e IFES - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do ES. Coordenador do Laboratório de Pesquisa em Segurança da Informação e Perícia Computacional Forense - LABSEG. Perito e Assistente Técnico em Computação Forense. Instrutor da Academia de Polícia do ES na área de Computação Forense. Membro da Sociedade Brasileira de Ciências Forenses. Membro da HTCIA - High Technology Crime Investigation Association. Liderança do Singularity University - Vitória Chapter. Membro fundador do DC5527, grupo local da Conferência Internacional de Segurança da Informação DEF CON. Articulista do Jornal A Gazeta. Autor do Blog Conexão Digital. Comentarista de Tecnologia da Rádio CBN e TV Gazeta. Autor dos livros Antenado na Tecnologia e Redes de Computadores e co-autor dos livros Internet: O encontro de 2 Mundos, Segurança da Informação: Como se proteger no mundo Digital, Marco Civil da Internet, Processo Judicial Eletrônico e Tratado de Computação Forense.

Website: http://gilberto.sudre.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CommentLuv badge

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.