Celulares: como se proteger da radiação eletromagnética

Na última semana a OMS – Organização Mundial da Saúde (http://www.who.int) divulgou um relatório (http://www.iarc.fr/en/media-centre/pr/2011/pdfs/pr208_E.pdf) que afirma terem sido encontrados indícios da relação entre a radiação emitida pelos celulares e o surgimento de câncer em humanos.

Como acredito que, para a maioria de nós, deixar de usar o celular é algo impensável atualmente pelo menos podemos reduzir a quantidade de radiação recebida com algumas dicas simples.

A primeira preocupação é manter o celular afastado do seu corpo. Por este motivo evite o uso de pochetes ou capas que ficam presas nos cintos preferindo manter o celular na bolsa. Pode parecer pouco mas a intensidade do sinal cai na relação do quadrado da distância. Isto quer dizer que quando dobramos a distância entre o celular e o nosso corpo a radiação fica quatro vezes mais fraca. O que é muito bom.

Outra opção é utilizar headphones durante a conversação. Existem vários modelos com fio ou aqueles sem fio via Bluetooth. Você deve estar se perguntando mas o Bluetooth também não é uma comunicação sem fio? É verdade mas a intensidade da irradiação emitida por esta tecnologia é uma centena de vezes menor do que a emitida pelo celular.

Quando possível utilize o viva voz para manter o telefone longe do seu corpo e principalmente da sua cabeça. Claro que isto vai depender do local onde você se encontra e se é possível utilizar este recurso.

Evite utilizar o celular em locais onde o sinal é ruim. A intensidade do sinal emitido pelos telefones não é constante. Se você está em um local afastado da torre da operadora o aparelho emite sinais de intensidade mais forte para poder alcançar a antena. Este aumento pode chegar a até 3 vezes a intensidade em comparação a um local de melhor recepção.

O que muitas pessoas se esquecem é que, mesmo sem estar falando ao telefone, o aparelho envia constantemente sinais para a torre para indicar que ele está ligado e disponível.

A boa notícia é que o envio de SMS ou navegação na Internet é mais seguro do que conversar pelo celular pelo simples fato do telefone estar afastado da sua cabeça.

Por último evite ficar “horas” ao telefone. Isto vai limitar a exposição as radiações emitidas pelo aparelho. Para alguns uma sugestão difícil de cumprir !!

Gilberto Sudré

Gilberto Sudre

Perito e Assistente Técnico em Computação Forense. Professor do IFES e coordenador do Laboratório de Pesquisa em Segurança da Informação e Perícia Computacional Forense.. Coordenador do Cisco Academy Support Center Ifes-ASC. Instrutor da Academia Cisco. Instrutor da Academia de Polícia do ES na área de Computação Forense. Professor da EMERJ - Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro no Curso de Aperfeiçoamento de Magistrados – Cibercrimes. Membro da Sociedade Brasileira de Ciências Forenses. Membro da HTCIA - High Technology Crime Investigation Association. Membro do Comitê Técnico CB21/CE27 - Tecnologia da Informação – Técnicas de Segurança da ABNT (Associação Brasileira de Normas técnicas). Membro fundador do DC5527, grupo local da Conferência Internacional de Segurança da Informação DEF CON. Comentarista de Tecnologia da CBN e TV Gazeta. Autor dos livros Antenado na Tecnologia e Redes de Computadores e co-autor dos livros Internet: O encontro de 2 Mundos, Segurança da Informação: Como se proteger no mundo Digital, Marco Civil da Internet, Processo Judicial Eletrônico e Tratado de Computação Forense.

Website: http://gilberto.sudre.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CommentLuv badge