Como armazenar suas fotos para a eternidade

A fotografia digital simplificou a maneira de registrarmos imagens mas criou um outro problema. Como armazenar este conteúdo por muito tempo?

Os CDs e DVDs são mídias muito utilizadas para o armazenamento de fotos por serem baratas e acessíveis mas elas não duram para sempre. O que fazer então?

É fácil encontrar amigos ou conhecidos que já tiveram a desagradável surpresa de tentar acessar as imagens gravadas nesse tipo de mídia e descobrirem que perderam tudo.

Não existe consenso fechado quanto à durabilidade real das mídias ópticas pois isto depende da qualidade do material, forma de gravação, exposição a luz e umidade além do local de armazenamento. Alguns fabricantes afirmam que os CDs e DVDs têm um período de vida que pode variar de dois a doze anos. No caso dos CD-RW (discos que podem ser regravados) os fabricantes afirmam que seus produtos chegam durar de vinte a cem anos quando gravados poucas vezes. Difícil acreditar. Pessoalmente prefiro números mais modestos como de dez a vinte anos, se bem guardados.

Para melhorar a segurança de seus dados, algumas medidas podem ajudar. A primeira dica é usar mídias graváveis no lugar das regraváveis e, de preferência, de boa procedência. Fuja da tentação de comprar baseando-se apenas o preço. Qualidade nesta hora está diretamente ligada a durabilidade.

Uma boa prática é revisar periodicamente o estado geral dos seus CDs ou DVDs de backup. O procedimento é simples, basta colocar o disco na unidade e tentar ler o seu conteúdo. Não se esqueça de anotar no próprio disco quando foi a data da gravação. A partir de dois anos, faça uma cópia para um outro CD ou DVD novo.

Caso o disco apresente algum erro ainda assim é possível tentar recuperar os arquivos com ferramentas como o CD/DVD Data Recovery (http://www.008soft.com/products/cd-data-recovery.htm).

A opção de usar as mídias ópticas para armazenar suas fotos é boa mas pode acabar gerando outro problema: falta de espaço para armazenar todos os discos. Outra alternativa é utilizar um HD externo. Neste caso o disco pode ficar guardado em casa e ser usado como backup. Hoje já encontramos facilmente HDs de um Tera byte (1000 MBytes) ou maiores. Esta opção também deve ser tratada com cuidado pois discos rígidos são equipamentos eletrônicos que podem apresentar problemas.

Antes de salvar tudo que encontra pela frente faça uma analise do que é importante guardar. Aplicativos como o Picasa (http://picasa.google.com.br) são muito úteis para classificar e eliminar fotos duplicadas.

Cuide de seu CDs e DVDs e terá suas fotos para sempre.

Gilberto Sudré

Gilberto Sudre

Perito e Assistente Técnico em Computação Forense. Professor do IFES e coordenador do Laboratório de Pesquisa em Segurança da Informação e Perícia Computacional Forense.. Coordenador do Cisco Academy Support Center Ifes-ASC. Instrutor da Academia Cisco. Instrutor da Academia de Polícia do ES na área de Computação Forense. Professor da EMERJ - Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro no Curso de Aperfeiçoamento de Magistrados – Cibercrimes. Membro da Sociedade Brasileira de Ciências Forenses. Membro da HTCIA - High Technology Crime Investigation Association. Membro do Comitê Técnico CB21/CE27 - Tecnologia da Informação – Técnicas de Segurança da ABNT (Associação Brasileira de Normas técnicas). Membro fundador do DC5527, grupo local da Conferência Internacional de Segurança da Informação DEF CON. Comentarista de Tecnologia da CBN e TV Gazeta. Autor dos livros Antenado na Tecnologia e Redes de Computadores e co-autor dos livros Internet: O encontro de 2 Mundos, Segurança da Informação: Como se proteger no mundo Digital, Marco Civil da Internet, Processo Judicial Eletrônico e Tratado de Computação Forense.

Website: http://gilberto.sudre.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CommentLuv badge