Cuidados com a segurança de seu dispositivo móvel

Estamos cada vez mais cercados de computadores pessoais como desktops, notebooks e netbooks. Com nossas informações pessoais armazenadas nestes equipamentos acabamos por nos acostumar, por extrema necessidade, a usar várias ferramentas de proteção como antivírus, antispywares e firewalls. Hoje não se admite um computador sem um destes utilitários, principalmente se ele utiliza o sistema operacional Windows.

Os usuários não satisfeitos com suas informações armazenadas nos computadores agora querem ter acesso a elas a partir de qualquer lugar e começam a copiá-las para seus dispositivos móveis como celulares e tablets.

Outra mudança de comportamento é o acesso as informações remotas feitas a partir destes pequenos dispositivos. Ações como ler e-mails, utilização de aplicativos de mensagens instantâneas, o uso de redes sociais e até o acesso a informações bancárias são feitas através de celulares.

Com esta nova realidade muitas questões passam a preocupar os usuários. Será que estes dispositivos oferecem o mesmo nível de segurança dos nossos PCs? Como posso fazer para aumentar a segurança no uso destes dispositivos móveis?

Ao que parece, no mercado móvel, os fabricantes assumiram para si esta responsabilidade. Temos o exemplo da Apple que usa controles rígidos para a aprovação de aplicativos que farão parte de sua loja virtual que vende programas para seus equipamentos. Mas será que isto pode deixar seus usuários tranquilos?

Pelo que acompanhamos até agora este modelo não tem atendido adequadamente. Frequentemente temos o relato falhas de segurança, vazamento de informações e denuncia de aplicativos que “roubam” dados de seus usuários. Este não é um problema exclusivo da plataforma Apple e também acontece com outros sistemas como o Android e Symbian.

Para os usuários as dicas ao utilizar um destes aparelhos são a de evitar downloads de fontes e sites não confiáveis, manter o sistema de seu equipamento atualizado e utilizar ferramentas de antivirus (uma atitude que poucos adotam apesar da existência de várias opções gratuitas). Por último fique atento as informações que você copia para o seu celular.

O certo é que se ainda não aconteceram ataques maciços contra os dispositivos móveis isto não vai demorar. O interesse para a geração de códigos maliciosos para estes tipos de gadgets aumenta com sua popularização e seus volumes de venda são cada vez maiores. Só para lembrar, o Brasil já conta com 189 milhões de celulares alcançando a marca de quase 1 aparelho por pessoa.

Por isto tudo é bom ficar de olho.

Gilberto Sudré

Gilberto Sudre

Professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do ES - IFES. Consultor e Pesquisador nas áreas de Segurança Digital e Computação Forense. Coordenador do Laboratório de Segurança Digital e Perícia Computacional Forense – LABSEG. Integrante do Comitê de Tecnologia da OAB-ES. Instrutor na disciplina de Perícia Computacional Forense da Academia de Polícia Civil do ES – ACADEPOL. Instrutor da Academia de Computação Forense Livre. Membro do comitê técnico CB21/CE27 da ABNT sobre Segurança da Informação. Membro do Grupo de Pesquisa – Justiça e Direito Eletrônicos – GEDEL. Comentarista de Tecnologia da Rádio CBN, TV Gazeta. Articulista do Jornal A Gazeta, Revista ES Brasil e Portal iMasters. Autor dos livros Antenado na Tecnologia e Redes de Computadores e co-autor dos livros Internet: O encontro de 2 Mundos, Segurança da Informação: Como se proteger no mundo Digital, Marco Civil da Internet e Processo Judicial Eletrônico.

Website: http://gilberto.sudre.com.br

4 Comentários

  1. Roberto Ribeiro Figueira

    Olá, tudo bem. Vou ser rápido. Como faço para colocar senha no pendrive?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CommentLuv badge