Descobri que meu Smartphone está infectado. E agora?

Os celulares a muito tempo deixaram de ser apenas dispositivos para ligações telefônicas e se tornaram os Smartphones, verdadeiros computadores que substituem seus irmãos maiores em quase todas as funções.

Como toda inovação os Smartphones possuem muitas vantagens mas também alguns novos problemas como por exemplo os Vírus. Sim estes pequenos mais poderosos computadores podem ser atacados e invadidos por códigos maliciosos.

Então como saber se seu aparelho foi infectado?

O sintoma mais comum da invasão por vírus é quando o Smartphone apresenta um ou mais comportamentos estranhos como uma lentidão exagerada, a exibição de anúncios não desejados como janelas de pop-ups ou durante a navegação você for redirecionado para outras páginas diferentes.

Fique de olho no consumo do plano de dados pois alguns vírus fazem uso intensivo da comunicação por Internet para tentar infectar outros aparelhos ou para enviar informações do seu aparelho para o atacante. Acompanhe de perto o número de SMSs enviados por seu telefone.

Muitos vírus acessam as lojas de aplicativos (oficiais ou não) e compram ou baixam aplicações sem sua autorização. Se surgirem aplicativos novos sem que você tenha feito o download, suspeite.

E como se proteger deste tipo de ataque?

A primeira proteção importante é a instalação de um Antivírus e não precisa ser pago. Existem muitas opções gratuitas como o Avast, BitDefender ou Lookout. É importante lembrar que iPhones e iPads também estão vulneráveis a Vírus e por isto também devem ter um Antivírus instalado.

Cuidado ao instalar um novo aplicativo no seu Smartphone. Só utilize as lojas oficiais do seu tipo de aparelho. Desconfie de aplicativos que solicitam permissões desnecessárias para seu uso, é provável que ele tenha fins maliciosos.

Não quebre a segurança do seu aparelho fazendo o ‘jailbreak’ em aparelhos iPhone ou Root em aparelhos Android. Isto torna o dispositivo vulnerável a ataques.

Cuidado ao utilizar redes Wi-Fi públicas na hora de realizar qualquer tipo de transação ou atualização do seu aparelho..

Armazenar somente os dados confidenciais que sejam necessários no dispositivo e evite fazer ou guardar fotos intimas ou privadas no aparelho.

Gilberto Sudré

Gilberto Sudre

Professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do ES - IFES. Consultor e Pesquisador nas áreas de Segurança Digital e Computação Forense. Coordenador do Laboratório de Segurança Digital e Perícia Computacional Forense – LABSEG. Integrante do Comitê de Tecnologia da OAB-ES. Instrutor na disciplina de Perícia Computacional Forense da Academia de Polícia Civil do ES – ACADEPOL. Instrutor da Academia de Computação Forense Livre. Membro do comitê técnico CB21/CE27 da ABNT sobre Segurança da Informação. Membro do Grupo de Pesquisa – Justiça e Direito Eletrônicos – GEDEL. Comentarista de Tecnologia da Rádio CBN, TV Gazeta. Articulista do Jornal A Gazeta, Revista ES Brasil e Portal iMasters. Autor dos livros Antenado na Tecnologia e Redes de Computadores e co-autor dos livros Internet: O encontro de 2 Mundos, Segurança da Informação: Como se proteger no mundo Digital, Marco Civil da Internet e Processo Judicial Eletrônico.

Website: http://gilberto.sudre.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CommentLuv badge