Motorola Atrix

O smartphone Atrix da Motorola é o primeiro representante de uma tendência. Aparelhos que podem se “vestir” com acessórios para atender a demandas bem diferentes.

A primeira vista o Atrix é um aparelho como outros smartphones sofisticados. O design é bem agradável com os cantos arredondados e uma grande tela (960 x 540 pixels ) protegida por um vidro de alta resistência. A qualidade da imagem exibida é excelente. O sensor de toque utiliza a tecnologia capacitiva que respondeu muito bem aos testes. Tudo pesando apenas 135 gramas.

Por trás desta aparente simplicidade esconde-se um poderoso processador Nvidia (Tegra 2) de 2 núcleos e 1 GHz. Isto o torna um dos smartphones com Android mais rápido do mercado. Pelo menos foi o mais rápido de todos que testei até agora.

O Android que acompanha o Atrix está na versão 2.2.1 mas a Motorola já prometeu a atualização para a versão 2.3. Com seu processador de núcleo duplo podemos pensar que, no futuro, ele pode receber a versão 3.0 deste sistema.

Quem procura um celular multimídia vai gostar do Atrix. Suas câmeras (traseira de 5Mp e frontal para videochamadas) apresentaram imagens limpas e nítidas. O Atrix possui uma saída HDMI que permite a conexão em TVs e Monitores de alta definição para a exibição de vídeos e clips. Para o áudio, a saída de headphones (plug de 3,5 mm) facilita sua ligação em qualquer amplificador.

O Atrix pode acessar a redes sem fio 802.11b/g/n e ainda se transformar em um Access Point para compartilhar o acesso a Internet. A conexão com o computador pode ser feita por Bluetooth (versão 2.1) ou através de uma conexão Micro USB. Uma característica interessante é a possibilidade de recarregar o smartphone através desta conexão.

Quanto ao armazenamento, o Atrix também não deixa nada a desejar. Possui uma memória interna de 16GB e um slot para Micro SDs de até 32GB.

Se você está preocupado com a fama do alto consumo de bateria do Android, pode ficar tranquilo. O Atrix se saiu muito bem também neste teste. Em um uso intenso a bateria durou um dia e meio. Nada mal.

Mas o Atrix ainda esconde alguns truques na manga. Um acessório especial chamado Lapdoc, uma Docking Station no formato de um Notebook. Olhando de fora o Lapdoc parece mesmo um Notebook com um teclado convencional, um touchpad e uma tela de 11,6”.

Ao precisar utilizar o smartphone por mais tempo e com um teclado e tela maiores é só encaixar o Atrix no Lapdoc. O processamento e as informações de contatos e arquivos continuam sendo os do Smartphone mas agora com uma tela grande e um teclado convencional.

O Atrix é uma boa escolha para quem precisa de um Smartphone poderoso com Android.

Gilberto Sudré

Gilberto Sudre

Perito e Assistente Técnico em Computação Forense. Professor do IFES e coordenador do Laboratório de Pesquisa em Segurança da Informação e Perícia Computacional Forense.. Coordenador do Cisco Academy Support Center Ifes-ASC. Instrutor da Academia Cisco. Instrutor da Academia de Polícia do ES na área de Computação Forense. Professor da EMERJ - Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro no Curso de Aperfeiçoamento de Magistrados – Cibercrimes. Membro da Sociedade Brasileira de Ciências Forenses. Membro da HTCIA - High Technology Crime Investigation Association. Membro do Comitê Técnico CB21/CE27 - Tecnologia da Informação – Técnicas de Segurança da ABNT (Associação Brasileira de Normas técnicas). Membro fundador do DC5527, grupo local da Conferência Internacional de Segurança da Informação DEF CON. Comentarista de Tecnologia da CBN e TV Gazeta. Autor dos livros Antenado na Tecnologia e Redes de Computadores e co-autor dos livros Internet: O encontro de 2 Mundos, Segurança da Informação: Como se proteger no mundo Digital, Marco Civil da Internet, Processo Judicial Eletrônico e Tratado de Computação Forense.

Website: http://gilberto.sudre.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CommentLuv badge