MVNO: em breve em um celular perto de você

O brasileiro paga uma das tarifas de celular mais caras do planeta. Disto praticamente ninguém tem dúvida. Como resolver esta questão?

Parece que a resposta a este problema passa, em parte, por aumentar a concorrência entre as empresas de celular deixando disponível aos consumidores um maior leque de opções.

Neste caminho uma sigla está chegando ao Brasil e veio para ajudar. O MVNO (Mobile Virtual Network Operator) ou do inglês operador de redes virtuais móveis.

O MVNO é um tipo de operadora de celular que não tem rede própria, ou seja não tem antenas, rádios, torres, cabos de fibra, frequências e outros equipamentos. Então como ela funciona? O modelo de negócio desta operadora está baseado no aluguel da infra estrutura já existente de outras operadoras.

A primeira vantagem desta forma de prestação de serviço está no uso mais racional de torres e transmissores através do compartilhamento da rede. Isto, por si só já reduz a poluição visual que observamos nas grandes cidades com a instalação indiscriminada de antenas.

Você pode estar se perguntando mas como estas novas operadoras irão sobreviver? A solução é o uso intensivo de tecnologia, o atendimento a nichos específicos do mercado e a oferta de serviços diferenciados. Alguns exemplos poderiam ser a integração da comunicação com as aplicações específicas do cliente ou a formatação de planos e tarifas que melhor se ajustem ao mercado.

O pulo do gato está na forma de operação. Como a empresa não precisa se preocupar em gerenciar toda a infra-estrutura ela pode dedicar seu foco e esforço exclusivamente ao cliente. É o minimo que poderíamos esperar.

A expectativa é que aconteça aqui o mesmo que ocorreu nos EUA. Lá o aumento da concorrência através de várias MVNOs fez com que as tarifas caíssem a preços bem interessantes.

Mas a queda de preços não depende somente do compartilhamento. Não podemos esquecer que parte do motivo de pagarmos tão caro pela comunicação está na grande carga de impostos que incide no setor (quase 40%). Neste caso a concorrência não tem muito o que fazer, só apelando para o bom senso do Governo.

Agora é esperar e torcer que os MVNOs entrem em operação o mais rápido possível. A concorrência é muito boa para o mercado e o consumidor agradece.

Um forte abraço e até a próxima semana.

Gilberto Sudre

Gilberto Sudre

Professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do ES - IFES. Consultor e Pesquisador nas áreas de Segurança Digital e Computação Forense. Coordenador do Laboratório de Segurança Digital e Perícia Computacional Forense – LABSEG. Integrante do Comitê de Tecnologia da OAB-ES. Instrutor na disciplina de Perícia Computacional Forense da Academia de Polícia Civil do ES – ACADEPOL. Instrutor da Academia de Computação Forense Livre. Membro do comitê técnico CB21/CE27 da ABNT sobre Segurança da Informação. Membro do Grupo de Pesquisa – Justiça e Direito Eletrônicos – GEDEL. Comentarista de Tecnologia da Rádio CBN, TV Gazeta. Articulista do Jornal A Gazeta, Revista ES Brasil e Portal iMasters. Autor dos livros Antenado na Tecnologia e Redes de Computadores e co-autor dos livros Internet: O encontro de 2 Mundos, Segurança da Informação: Como se proteger no mundo Digital, Marco Civil da Internet e Processo Judicial Eletrônico.

Website: http://gilberto.sudre.com.br

1 Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CommentLuv badge