O Android está preparado para o mercado corporativo?

A conquista do mercado de celulares, com suas taxas de crescimento de dois dígitos, é o objetivo de muitas empresas como Apple (iOS), Google (Android), RIM (Blackberry), Nokia (Symbian) e Microsoft (Windows Phone 7). Cada uma a sua maneira, tenta convencer usuários e empresas a aderirem a sua plataforma. Apesar dos vários concorrentes, ao que tudo indica, dois deles tem reais chances de brigar pela liderança: a Apple e o Google.

O iPhone já conquistou sua legião de adeptos com sua interface fácil, design diferenciado e uma grande disponibilidade de aplicativos na loja da Apple.

Do outro lado o Android, com menos de dois anos de mercado, vem literalmente “correndo por fora” e ganhando mais adeptos no mercado doméstico a cada dia. Nos Estados Unidos ele já é a terceira plataforma mais popular, com 17% do mercado, segundo pesquisa da consultoria comScore.

A dúvida é, será que o Android terá a capacidade de repetir este sucesso no mercado corporativo? Mesmo com as críticas ao sistema por causa das várias versões utilizadas pelas operadoras eu acredito que sim devido as seguintes questões.

Um ponto importante na aceitação do Android é a sua flexibilidade na utilização do sistema em diversos celulares de diferentes fabricantes. Isto permite uma oferta diferenciada de aparelhos que podem atender a necessidades específicas das empresas. Isto também significa concorrência entre os fabricantes, o que é bom para o cliente.

O sistema também inclui nativamente o recurso de ser multitarefa permitindo a execução de vários aplicativos ao mesmo tempo. Com certeza uma característica necessária para os usuários corporativos.

A forma de acesso aos aplicativos disponíveis também deixa claro a diferença entre as duas plataformas. Ao contrário da Apple Store que oferece apenas os aplicativos aceitos pela fabricante, no caso do Android Market a oferta de apps é mais democrática e permite que os desenvolvedores ofereçam aplicações de acordo com os interesses e exigências de seus clientes. A flexibilidade na oferta de aplicativos nos leva a outra questão. Como é a segurança do sistema Android?

Nenhum sistema operacional, móvel ou para desktop pode oferecer uma segurança completa mas em relação a esta questão parece que não haver dúvida de que o Android é o vencedor devido a sua origem baseada no Linux. No Android os aplicativos são executados com permissões específicas que controlam o que o app pode ou não fazer. Outra vantagem está na própria filosofia da diversidade, como acontece com o Linux, a plataforma aberta significa que a comunidade mundial de desenvolvedores e usuários pode acompanhar e melhorar a segurança.

Outras questões como a flexibilidade de personalização, suporte ao Flash da Adobe e custo, fazem com que o Android esteja pronto tanto para o mercado doméstico como o mercado corporativo.

Gilberto Sudré

Gilberto Sudre

Professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do ES - IFES. Consultor e Pesquisador nas áreas de Segurança Digital e Computação Forense. Coordenador do Laboratório de Segurança Digital e Perícia Computacional Forense – LABSEG. Integrante do Comitê de Tecnologia da OAB-ES. Instrutor na disciplina de Perícia Computacional Forense da Academia de Polícia Civil do ES – ACADEPOL. Instrutor da Academia de Computação Forense Livre. Membro do comitê técnico CB21/CE27 da ABNT sobre Segurança da Informação. Membro do Grupo de Pesquisa – Justiça e Direito Eletrônicos – GEDEL. Comentarista de Tecnologia da Rádio CBN, TV Gazeta. Articulista do Jornal A Gazeta, Revista ES Brasil e Portal iMasters. Autor dos livros Antenado na Tecnologia e Redes de Computadores e co-autor dos livros Internet: O encontro de 2 Mundos, Segurança da Informação: Como se proteger no mundo Digital, Marco Civil da Internet e Processo Judicial Eletrônico.

Website: http://gilberto.sudre.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CommentLuv badge