OS DVDs e discos Blu-rays estão com os dias contatos?

Será que a industria de entretenimento vai perder a oportunidade novamente? Enquanto os grandes estúdios de Hollywood apostam no Blu-ray como formato para distribuição de seus filmes uma pesquisa divulgada esta semana aponta que buscas no Google por termos ligados a mídias físicas como DVD ou Blu-Ray estagnou enquanto pesquisa por Streaming cresceu 90%.

Para quem é novo na área o Streaming é a distribuição de conteúdo multimídia como áudio e vídeo de forma on-line através de redes de computadores como por exemplo a Internet.

Como vantagens da distribuição on-line de conteúdo estão a possibilidade de assistir aos filmes “por demanda” ou seja na hora que você quiser, acesso a um acervo quase ilimitado de títulos e dispensa da necessidade de ir até uma videolocadora para pegar e depois devolver o filme. Em alguns casos os preços também são bem interessantes.

Parece que a história vai se repetir. Quando o padrão MP3 de gravação de áudio surgiu as gravadoras simplesmente fizeram pouco caso. Desprezaram o “pequeno” MP3 e continuaram a investir no seu formato fechado onde você só podia ter acesso a sua musica preferida se comprasse um CD com outras trilhas que você não queria. O resultado deste processo já sabemos e as gravadoras simplesmente ficaram pelo caminho. Agora tentam recuperar o espaço perdido.

A pesquisa desta semana indica que o interesse por formas de distribuição de filmes, especialmente do serviço Netflix (locação de filmes físicos e online) aumentaram exponencialmente. Já os DVDs e Blu-Rays atraem cada vez menos a atenção do público.

O crescimento da popularidade da distribuição on-line de filmes acompanha o maior acesso pela população a canais de comunicação de alta velocidade e pela mudança de comportamento dos consumidores que aparentemente estão perdendo o interesse na propriedade dos filmes.

Os dados do mercado nos Estados Unidos mostram que só agora o Blu-ray conseguiu se equiparar ao tradicional DVD em termos de vendas de tocadores. A mesma pesquisa informa que 77% dos americanos ainda assistem a filmes em DVD.

Depois de avaliar toda a situação é fácil entender porque o Google e a Apple já começam uma batalha para ver quem vai comprar o Netflix

Para quem ficou interessado, rumores indicam que o Netflix pode chegar ao Brasil ainda este ano. A NET já oferece este serviço em alguns bairros de São Paulo. Por enquanto apenas aqueles locais atendidos por fibra óptica por causa das velocidades necessárias para transmissão de dados.

Gilberto Sudré

Gilberto Sudre

Professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do ES - IFES. Consultor e Pesquisador nas áreas de Segurança Digital e Computação Forense. Coordenador do Laboratório de Segurança Digital e Perícia Computacional Forense – LABSEG. Integrante do Comitê de Tecnologia da OAB-ES. Instrutor na disciplina de Perícia Computacional Forense da Academia de Polícia Civil do ES – ACADEPOL. Instrutor da Academia de Computação Forense Livre. Membro do comitê técnico CB21/CE27 da ABNT sobre Segurança da Informação. Membro do Grupo de Pesquisa – Justiça e Direito Eletrônicos – GEDEL. Comentarista de Tecnologia da Rádio CBN, TV Gazeta. Articulista do Jornal A Gazeta, Revista ES Brasil e Portal iMasters. Autor dos livros Antenado na Tecnologia e Redes de Computadores e co-autor dos livros Internet: O encontro de 2 Mundos, Segurança da Informação: Como se proteger no mundo Digital, Marco Civil da Internet e Processo Judicial Eletrônico.

Website: http://gilberto.sudre.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CommentLuv badge