Os perigos dos brinquedos conectados a Internet

Já foi o tempo em que os brinquedos eletrônicos precisavam apenas de pilhas, baterias ou de energia elétrica para serem utilizados. Atualmente os brinquedos “inteligentes” tem processadores, memória, programação embarcada, GPSs, câmeras e microfones embutidos e não raro se conectam a Internet.

São Bonecas, Robôs, Carros de Controle remoto, Drones e muitos outros que utilizam toda esta “inteligência” e tecnologia para aprender e se adaptar seus comportamentos com base nas interações das crianças e seus usuários.

Esses são recursos bem interessantes mas que também podem colocar a privacidade e a segurança das crianças e da sua família em risco devido à grande quantidade de informações pessoais que podem ser reveladas involuntariamente.

Brinquedos com microfones podem gravar conversas que ocorram próximas ao dispositivo e revelar o nome da criança, a escola, seus hábitos e atividades corriqueiras divulgadas através de uma conversa normal com o brinquedo.

O uso destas informações pessoais de uma criança combinada com a capacidade de um brinquedo para se conectar à Internet ou a outros dispositivos pode expor de forma indevida a a sua privacidade e até a segurança física.

Para realizar a ativação destes brinquedos normalmente é necessária a criação de uma conta de usuário onde são solicitadas informações pessoais como por exemplo, nome, data de nascimento, fotos e endereço.

Além das informações fornecidas as empresas fabricantes destes produtos podem coletar grandes quantidades de dados adicionais, como mensagens de voz, gravações de conversas, locais físicos passados e em tempo real, histórico de uso da Internet e endereços IPs da Internet.

Os consumidores devem consultar as políticas de privacidade do fabricante de brinquedos para conhecer onde os dados pessoais da sua família são enviados e armazenados, inclusive se for enviado a serviços de terceiros. Infelizmente a pressa de lançar um produto no mercado muitos cuidados com a segurança dos consumidores podem ser ignoradas.

Aproveite e antes de comprar ou usar estes produtos faça uma pesquisa on-line sobre seu uso para identificar problemas conhecidos que já tenham sido relatados por pesquisadores de segurança ou em relatórios de consumidores.

Gilberto Sudré

Gilberto Sudre

Professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do ES - IFES. Consultor e Pesquisador nas áreas de Segurança Digital e Computação Forense. Coordenador do Laboratório de Segurança Digital e Perícia Computacional Forense – LABSEG. Integrante do Comitê de Tecnologia da OAB-ES. Instrutor na disciplina de Perícia Computacional Forense da Academia de Polícia Civil do ES – ACADEPOL. Instrutor da Academia de Computação Forense Livre. Membro do comitê técnico CB21/CE27 da ABNT sobre Segurança da Informação. Membro do Grupo de Pesquisa – Justiça e Direito Eletrônicos – GEDEL. Comentarista de Tecnologia da Rádio CBN, TV Gazeta. Articulista do Jornal A Gazeta, Revista ES Brasil e Portal iMasters. Autor dos livros Antenado na Tecnologia e Redes de Computadores e co-autor dos livros Internet: O encontro de 2 Mundos, Segurança da Informação: Como se proteger no mundo Digital, Marco Civil da Internet e Processo Judicial Eletrônico.

Website: http://gilberto.sudre.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CommentLuv badge