Os perigos dos brinquedos conectados a Internet

Já foi o tempo em que os brinquedos eletrônicos precisavam apenas de pilhas, baterias ou de energia elétrica para serem utilizados. Atualmente os brinquedos “inteligentes” tem processadores, memória, programação embarcada, GPSs, câmeras e microfones embutidos e não raro se conectam a Internet.

São Bonecas, Robôs, Carros de Controle remoto, Drones e muitos outros que utilizam toda esta “inteligência” e tecnologia para aprender e se adaptar seus comportamentos com base nas interações das crianças e seus usuários.

Esses são recursos bem interessantes mas que também podem colocar a privacidade e a segurança das crianças e da sua família em risco devido à grande quantidade de informações pessoais que podem ser reveladas involuntariamente.

Brinquedos com microfones podem gravar conversas que ocorram próximas ao dispositivo e revelar o nome da criança, a escola, seus hábitos e atividades corriqueiras divulgadas através de uma conversa normal com o brinquedo.

O uso destas informações pessoais de uma criança combinada com a capacidade de um brinquedo para se conectar à Internet ou a outros dispositivos pode expor de forma indevida a a sua privacidade e até a segurança física.

Para realizar a ativação destes brinquedos normalmente é necessária a criação de uma conta de usuário onde são solicitadas informações pessoais como por exemplo, nome, data de nascimento, fotos e endereço.

Além das informações fornecidas as empresas fabricantes destes produtos podem coletar grandes quantidades de dados adicionais, como mensagens de voz, gravações de conversas, locais físicos passados e em tempo real, histórico de uso da Internet e endereços IPs da Internet.

Os consumidores devem consultar as políticas de privacidade do fabricante de brinquedos para conhecer onde os dados pessoais da sua família são enviados e armazenados, inclusive se for enviado a serviços de terceiros. Infelizmente a pressa de lançar um produto no mercado muitos cuidados com a segurança dos consumidores podem ser ignoradas.

Aproveite e antes de comprar ou usar estes produtos faça uma pesquisa on-line sobre seu uso para identificar problemas conhecidos que já tenham sido relatados por pesquisadores de segurança ou em relatórios de consumidores.

Gilberto Sudré

Gilberto Sudre

Perito e Assistente Técnico em Computação Forense. Professor do IFES e coordenador do Laboratório de Pesquisa em Segurança da Informação e Perícia Computacional Forense.. Coordenador do Cisco Academy Support Center Ifes-ASC. Instrutor da Academia Cisco. Instrutor da Academia de Polícia do ES na área de Computação Forense. Professor da EMERJ - Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro no Curso de Aperfeiçoamento de Magistrados – Cibercrimes. Membro da Sociedade Brasileira de Ciências Forenses. Membro da HTCIA - High Technology Crime Investigation Association. Membro do Comitê Técnico CB21/CE27 - Tecnologia da Informação – Técnicas de Segurança da ABNT (Associação Brasileira de Normas técnicas). Membro fundador do DC5527, grupo local da Conferência Internacional de Segurança da Informação DEF CON. Comentarista de Tecnologia da CBN e TV Gazeta. Autor dos livros Antenado na Tecnologia e Redes de Computadores e co-autor dos livros Internet: O encontro de 2 Mundos, Segurança da Informação: Como se proteger no mundo Digital, Marco Civil da Internet, Processo Judicial Eletrônico e Tratado de Computação Forense.

Website: http://gilberto.sudre.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CommentLuv badge