Steve Jobs: o homem que mudou a forma que usamos a tecnologia

A tecnologia esta em praticamente todos os aspectos da vida moderna e o que influencia a tecnologia afeta diretamente a forma como vivemos e nos relacionamos.

Uma das pessoas que alterou profundamente nossa relação com as inovações foi Steve Jobs, um americano com uma história bastante peculiar desde o seu nascimento. História esta retratada ao longo das 632 páginas do livro biografia escrito por Walter Isaacson. Um belo trabalho jornalistico cobrindo a sua vida pessoal e profissional através de entrevistas com mais de cem pessoas entre familiares, amigos, colegas de trabalho e até desafetos. Mesmo lançado em outubro a obra se tornou a mais vendida pela Amazon em 2011.

Colocado para adoção, Jobs foi acolhido por uma família simples com a condição imposta pela mãe biológica de que ele pudesse cursar a universidade. Ele foi um adolescente mimado, fã de Bob Dylan e que por vezes se parecia mais com um hippie pé-sujo. Ainda adolescente ele se acostumou a passar algumas horas por dia fazendo meditação Zen. No ensino médio encontra um de seus melhores amigos e futuro sócio Stephen “Steve” Wozniak, cujo irmão mais novo era colega de Jobs na equipe de natação.

A graduação promissora, tão desejada por sua mãe, foi abandonada em troca de um duvidoso curso de caligrafia que posteriormente também foi deixado por uma viagem mistica pela Índia.

Aos 20 anos, de volta aos Estados e em dupla com seu amigo Steve Wozniak, funda a Apple e cria o que viria a ser o primeiro computador pessoal do mundo. Dez anos depois é expulso da empresa que ele mesmo criou por divergências com o conselho de administração.

Fora da Apple fundou a NEXT, uma outra empresa de computadores, e comprou do cineasta George Lucas, por 10 milhões de dólares, a produtora de animações Pixar. Depois de 11 anos e com filmes como a série Toy Story, Os incríveis, Carros ou Monstros no currículo a Pixar foi vendida por 7 bilhões de dólares.

Depois de muitos erros estratégicos e quase falir a Apple finalmente chama Steve Jobs de volta, agora com 42 anos, para tentar salvar a empresa. Nos anos seguintes vieram muitos sucessos como o iMac (marca de seu retorno a empresa), o iPod / iTunes (que revolucionou o mercado de venda de músicas), o iPhone (que inaugurou o sucesso dos smartphones) e o iPad (que mudou a forma como consumimos informações e o mercado editorial).

A última década de vida de Steve Jobs foi provavelmente a mais produtiva e de maior impacto na sociedade mas também foi marcada pela batalha contra o câncer no pâncreas. Uma trajetória e tanto.

Além dos aspectos tecnológicos e de inovação envolvidos existem outras questões a serem avaliadas na relação de Steve Jobs e o mercado.

O sucesso da Internet é em grande parte fruto da liberdade e democracia encontrada pelos usuários. Aparentemente este modelo não está exatamente alinhado com o defendido por Jobs. A liberdade do usuário em fazer o que desejasse com seus produtos não era e nunca foi uma atitude aceita pela Apple. Nesse sentido Jobs não era um revolucionário mas um contrarrevolucionário, e considerando o que ele fez, o melhor deles.

É inegável que Jobs conseguiu captar as necessidades da sociedade e traduzir em produtos afastando os detalhes técnicos ou de configuração. Tudo isto aliado a uma excelente estrutura de marketing resultou na conquista de uma legião de fãs.

O design agradável de seus produtos e a facilidade de uso tem um preço a ser pago: o controle quase que completo sobre tudo que entra ou sai de seus aparelhos e o consumo exclusivo de aplicativos e conteúdo vindos de uma única fonte. Para alguns é um preço alto demais.

Sua busca pela excelência é famosa. Steve nunca permitiu que a Apple fizesse produtos apenas razoáveis ou bons. Ele só aceitava os excelentes e levava isto aos seus colaboradores. Foi considerado um chefe que possuía carisma para liderar e motivar sua equipe mas implacável, pressionando por melhores resultados e podendo demitir funcionários que não estivessem de acordo como o esperado.

Toda esta exigência era reconhecida pelos concorrentes e forçou o mercado a elevar o nível de produtos e serviços para manter a competição. Com certeza isto ajudou a mudar como vemos a tecnologia atualmente.

A pergunta que fica é “O que esperar do mundo em 2012 sem Jobs?”

Não teríamos a Apple sem ele e é improvável que outro profissional reúna os mesmos talentos dele. Assim será que continuaremos a ter produtos com design e uso inovadores, com alto grau de qualidade mesmo sem a presença de Jobs no comando?

É sabido que ele deixou muitos projetos encaminhados e prontos para serem lançados, devido a isto, por alguns anos, ainda teremos sua presença em novos lançamentos, mas e depois?

Desde seu primeiro afastamento por motivo de saúde ele trabalhou para criar uma equipe e processos que mantivessem seu DNA na empresa. Será que ele conseguiu? Isto só o tempo e o mercado dirão.

Uma coisa é certa, tudo que Steve Jobs fez foi com intensidade e paixão como ele mesmo disse: “Para se ter sucesso, é necessário amar de verdade o que se faz. Caso contrário, levando em conta apenas o lado racional, você simplesmente desiste. É o que acontece com a maioria das pessoas.”

Gilberto Sudré

Gilberto Sudre

Perito e Assistente Técnico em Computação Forense. Professor do IFES e coordenador do Laboratório de Pesquisa em Segurança da Informação e Perícia Computacional Forense.. Coordenador do Cisco Academy Support Center Ifes-ASC. Instrutor da Academia Cisco. Instrutor da Academia de Polícia do ES na área de Computação Forense. Professor da EMERJ - Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro no Curso de Aperfeiçoamento de Magistrados – Cibercrimes. Membro da Sociedade Brasileira de Ciências Forenses. Membro da HTCIA - High Technology Crime Investigation Association. Membro do Comitê Técnico CB21/CE27 - Tecnologia da Informação – Técnicas de Segurança da ABNT (Associação Brasileira de Normas técnicas). Membro fundador do DC5527, grupo local da Conferência Internacional de Segurança da Informação DEF CON. Comentarista de Tecnologia da CBN e TV Gazeta. Autor dos livros Antenado na Tecnologia e Redes de Computadores e co-autor dos livros Internet: O encontro de 2 Mundos, Segurança da Informação: Como se proteger no mundo Digital, Marco Civil da Internet, Processo Judicial Eletrônico e Tratado de Computação Forense.

Website: http://gilberto.sudre.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CommentLuv badge