Segurança digital não é só antivírus

A segurança dos dados pessoais e dos computadores está preocupando muitas pessoas e quando se fala deste assunto o primeiro pensamento se volta para os antivírus e a escolha de um que seja bom. Não que o antivírus seja dispensável mas existem outras questões importantes para a segurança da informação.

Hoje a principal vulnerabilidade dos sistemas não é exatamente uma questão técnica mas sim uma questão comportamental, assim se as atitudes dos usuários não forem de cuidado e atenção podem colocar por terra todas as outras proteções adotadas.

Sejam colaboradores ou sejam usuários domésticos todos devem colaborar com a segurança adotando hábitos seguros no uso de aplicativos ou serviços e da navegação na Internet. Abrir sites suspeitos, clicar em links ou anexos dentro de e-mails, abrir endereços enviados por SMSs, mensagens de Whatsapp e outros são condutas de alto risco atualmente.

É claro que hábitos e comportamentos são difíceis de serem mudados mas com atenção e disciplina podemos melhorar nossos procedimentos no uso da Internet.

Além dos antivírus e do comportamento pessoal outros itens devem ser cuidados para melhorar a segurança de nossas informações.

A começar pela atualização dos sistemas operacionais e aplicativos (isto vale para Smartphones, Tablets e computadores). Todos estes componentes devem estar na sua última versão pois as atualizações corrigem erros e fecham vulnerabilidades conhecidas.

A rede corporativa ou domestica também devem estar estar devidamente configuradas. Para quem usa as redes sem fio o principal cuidado deve ser o de configurar corretamente a criptografia usando uma senha de difícil sugestão. É uma boa prática trocá-la com alguma frequência.

As senhas utilizadas nos serviços disponíveis na Internet também devem ser tratadas com cuidado. Para locais importantes e que necessitam de grande segurança a senha deve ser de no mínimo 8 posições alfanuméricas, com pelo menos uma letra maiúscula. Nunca use a mesma senha em vários locais pois se uma das senhas vazar todas os outros serviços estarão vulneráveis.

Uma ferramenta também importante para a segurança da Informação é a criptografia. Através dela podemos armazenar, transmitir e compartilhar arquivos com um nível maior de proteção.

Os ataques no mundo digital evoluem a cada dia e confiar apenas no antivírus é bastante arriscado.

Gilberto Sudré

Gilberto Sudre

Perito e Assistente Técnico em Computação Forense. Professor do IFES e coordenador do Laboratório de Pesquisa em Segurança da Informação e Perícia Computacional Forense.. Coordenador do Cisco Academy Support Center Ifes-ASC. Instrutor da Academia Cisco. Instrutor da Academia de Polícia do ES na área de Computação Forense. Professor da EMERJ – Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro no Curso de Aperfeiçoamento de Magistrados – Cibercrimes. Membro da Sociedade Brasileira de Ciências Forenses. Membro da HTCIA – High Technology Crime Investigation Association. Membro do Comitê Técnico CB21/CE27 – Tecnologia da Informação – Técnicas de Segurança da ABNT (Associação Brasileira de Normas técnicas). Membro fundador do DC5527, grupo local da Conferência Internacional de Segurança da Informação DEF CON. Comentarista de Tecnologia da CBN e TV Gazeta. Autor dos livros Antenado na Tecnologia e Redes de Computadores e co-autor dos livros Internet: O encontro de 2 Mundos, Segurança da Informação: Como se proteger no mundo Digital, Marco Civil da Internet, Processo Judicial Eletrônico e Tratado de Computação Forense.

Website: http://gilberto.sudre.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CommentLuv badge